J - K - L


Drº João Carlos Carranca nasceu em Sá da Bandeira, Angola, a 28 de Outubro de 1956.
A sua instrução primária foi feita em Moçâmedes, tendo ficado a cargo do professor Amaral.
Com apenas 12 anos de idade já colaborava num projecto radiofónico, no Rádio Clube local.
Em 1979 veio para Portugal, estudar medicina na Universidade do Porto, onde se formou, tendo realizado a especialidade no Hospital de Santarém, dividindo a sua carreira entre Portugal e Angola.
Residente em Portimão desde 1996 é Médico-Cirurgião no Hospital do Barlavento Algarvio. Foi igualmente médico desportivo no clube de futebol Portimonense Sporting Club.

Obras publicadas:

Estórias soltas e palavras vadias- Arandis editora- 2016



João de Sousa,

natural da Fuzeta, morador em Faro, depois de uma temporada a viver no Alentejo.
Tem dois livros publicados sobre história contemporânea.

Obras publicadas:

Cidade traida- Arandis editora-2013 

 

 

João Nuno Aurélio Marcos,

Nasceu e reside em Lagoa no Algarve.

Licenciado em direito no ano de 1978 pela faculdade de direito da Universidade Clássica de Lisboa, onde foi monitor de história económica e social Portuguesa e de história das instituições, foi professor e exerce há mais de 30 anos a actividade de advogado. Colabora ainda na imprensa regional e é um interessado estudioso da história do concelho de Lagoa, sobre o qual escreveu " Lagoa liberal republicano e maçónico". 

Obras publicadas:

Os Viscondes de Lagoa- Arandis editora- 2013

A Caridade e as Instituições de Assistência Pública no Concelho de Lagoa- Arandis Editora- 2014

Traidor ou patriota? - Arandis editora- 2016


 


João Vasconcelos,

 é professor de História em Portimão, de onde é natural. Licenciado em História e Mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Desde 2010 tem sido um dos principais dinamizadores e porta-voz da Comissão de Utentes da Via do Infante, na luta contra as portagens.

Em 2013 foi eleito vereador na Câmara Municipal de Portimão. Em 2005 já tinha sido eleito para a Assembleia Municipal deste concelho. Com uma larga experiência política, social e sindical, tem vindo a participar e dinamizar vários coletivos de mobilização social sobre os mais variados assuntos no Algarve, entre os quais as manifestações contra a troika, os movimentos em defesa do SNS na região, as lutas sindicais no seio dos professores, tendo pertencido à direção do Sindicato dos Professores da Zona Sul e ao Conselho Nacional da FENPROF. Participou nas lutas contra a Taxa Municipal de Proteção Civil em Portimão, no movimento "Je Suis Ilhéu" e na luta "Acorrentados Por Uma Vida Melhor", em defesa dos salários em atraso. É dirigente nacional e distrital do Bloco de Esquerda.

A nível científico, é autor de vários artigos e estudos no âmbito da História local e regional e de cariz político e sindical, tendo participado em inúmeros congressos, conferências, seminários e colóquios. Alguns desses estudos são: "João Bonança - Subsídio para um Estudo Crítico do seu Pensamento e Obra", 1990; "Regionalização Administrativa do Continente", 1997; "A Resistência Operária ao «Estado-Novo» em 1934-Análise de um Processo" (co-autor) e "Património em Portimão, Que opção: Preservar ou Destruir?" (co-autor),1999; "O 18 de Janeiro de 1934 - Anarqueirada ou Acção de Massas?", 2001; "A Comuna de Paris", 2003; "Fascismo, Crise e Revolta Operária no Algarve nos Anos 30 - Interpretações, Polémicas e Controvérsias", 2004; "O Dia que abalou Salazar", 

O 18 de Janeiro de 1934- histórica e mitificação- Arandis editora- Setembro 2015

 

   

Joaquim Morgado, nasceu em Faro em 1956, tendo a sua inclinação para a poesia se revelado ainda no início da aprendizagem da leitura e da escrita e, subsequentemente, no contexto dos exercícios inerentes à aprendizagem do português do antigo curso geral dos liceus. Foi nesse contexto que a sua primeira publicação ocorreu pelos 13/14 anos no jornal estudantil «A Centelha» existente à época no Liceu Nacional de Faro.

Pesem embora os auspiciosos augúrios, a sua vida foi no essencial dedicada à emérita profissão de mestre-escola e outras ocupações afins da função educativa, tendo a projecção exterior da sua actividade criativa ficado dispersa por pequenas publicações de iniciativa local, em crónicas de crítica social e literárias dadas à luz em jornais regionais e na produção resultante de um curto período em que, na juventude, se dedicou ao jornalismo político. Depois de um período de especialização em educação artística na área particular das artes performativas) desenvolveu iniciativas dirigidas à divulgação da poesia (a própria e a de contemporâneos activos e não editados) ao vivo e sempre associada a uma outra arte, nomeadamente a música – normalmente vista como a mais óbvia – mas também outras como a dança, o teatro ou as artes do circo, isso no âmbito do ciclo LEITURAS PERNICIOSAS, primeiro numa singular e fugaz aparição na galeria Margem e depois numa outra, mais plural e diversificada, no espaço cultural do Pátio de Letras em Faro, em colaboração e sob o alto patrocínio da amiga e protectora Drª Liliana Palhinha.

Por sugestão e estímulo do co-autor, editor e amigo de infância Fernando Lobo, é então esta a primeira vez que, de forma consistente e articulada, os poemas de Joaquim Morgado são dados à estampa. Em todo o caso e apesar de tudo, a vida continua…

 

 

Jorge Magalhães nasceu em 1958, em Lisboa, e completou a licenciatura em Arquitectura na Escola de Belas Artes de Lisboa em 1982.

Reside no Algarve desde 1979, onde, a par da profissão, desenvolveu alguma actividade no âmbito social com vários cargos directivos na União Shito-Ryu de Portugal, nos Bombeiros Voluntários de Albufeira e no Imortal, na AHSA, Associação Humanitária de Solidariedade de Albufeira, na Athena, Associação Filantrópica. No âmbito cultural, é sócio da AMPA Associação de Musica Popular de Albufeira e membro do Grupo de Música Tradicional Banda Alhada, grupo de cantares e amizade.

Foi Iniciado Maçom em 2002, seguindo um desígnio de desenvolvimento espiritual... que de momento jaz adormecido esperando melhores dias.

Em 2007, apresentou o seu 1º livro “dos Cravos nascem Rosas” pela editora Sete Caminhos, e apresenta agora este 2º livro pela Arandis editora,    “O Ouro dos Sábios”  ou um certo desnorte na Maçonaria. No prelo está o livro “As Aventuras e Desventuras de um tal Judas de Queriote...” uma viagem maçónica no evangelho de João”.

Publicou ainda:

2013

O Ouro dos Sábios- Arandis editora

2016

Apresentação oficial de "As aventuras e desventuras de um tal Judas de Queriote"- Arandis editora

Adalberto Alves (18 de Julho de 1939) é poeta, escritor, ensaísta, arabista, historiador, conferencista e jurista português.

Foi premiado com o Prémio Internacional Sharjah para a Cultura Árabe em 2008, da UNESCO.

Antes do 25 de Abril de 1974 fez activa oposição ao regime salazarista e advogou no Tribunal Plenário, em defesa de presos políticos, tendo-lhe sido vedado, até ao 25 de Abril, o acesso à Função Pública.

  • Licenciado em Direito pela Universidade Clássica de Lisboa.
  • Formação diversa, nomeadamente, nas áreas do Management e da Psicologia Empresarial (Análise Transaccional).
  • Estudos e participações na área musical, nomeadamente, no Conservatório Nacional e na Academia dos Amadores de Música (Violino, Guitarra Clássica e Coralista).
  • Estudos de Língua e Cultura Árabe (Universidade Nova de Lisboa).

  • PRINCIPAIS OBRAS PUBLICADAS

  • » Uma obscura visão, poesia, Editora Arcádia, Lisboa, 1979
    • O Gume e o Tempo,  poesia, Editora Arcádia, Lisboa, 1982
    • D. Sebastião, libreto (inédito) para uma ópera de Lopes-Graça, 1983
    • Al-Mu'tamid, poesia, Câmara Municipal de Beja,  Beja, 1985
    • O Meu Coração é Árabe, poesia, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    • Arabesco, música árabe e música portuguesa, ensaio, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    • Partidos Políticos e crise de democracia, ensaio, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    • A Pega Azul e seis historietas mais,  contos infantis,  Editorial Teorema,  Lisboa, 1990
    • Portugal e o Islão - Escritos do Crescente , ensaio, Editorial Teorema, Lisboa, 1991
    • Um Humanista do século XI, al-Bâjî, ensaio,Câmara Municipal de Beja,Beja,1992
    • Oriente de Mim, poesia, Editorial Teorema, Lisboa, 1993
    •  A Noite do Destino, poesia, Editorial Teorema, 1993
    • Portugal, Ândalus e Magrebe, ensaio, Ed. Universitárias Lusófonas, Lisboa, 1995
    • Al-Mu'tamid, poeta do destino, poesia, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    • Nítido Crescente, ensaios, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    • Portugal: Ecos de um Passado Árabe, ensaio, Instituto Camões, Lisboa, 1999
    • Ibn 'Ammâr al-Andalusî, o drama de um poeta (com Hamdane Hadjadji), poesia, última edição, Althum, Lisboa, 2016 
    • A Herança Árabe em Portugal, ensaio, Clube de Filatelia - C.T.T., Lisboa, 2001.
    • Sandálias do Mestre, ensaio, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    •  História da Advocacia em Portugal, ensaio, Clube de Filatelia-C.T.T., Lisboa, 2003.
    • Al-Mu'tamid, Poeta do Destino, poesia, Assírio & Alvim, nova edição, Lisboa, 2004.
    • Em Busca da Lisboa Árabe, ensaio, Clube de Filatelia, C.T.T., 2007
    • Portugal e o Islão Iniciático, ensaio, Ésquilo Editora, 2007
    • Irão - Viagem ao país das rosas, poesia, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    • No Vértice da Noite, poesia, ed. Argusnauta, Lisboa, 2008
    • Qasa'id mukhtara, ed. bilingue, última edição, Althum, Lisboa, 2016
    • Portugal e o Islão - Novos Escritos do Crescente, ensaio, Ed.Teorema, Lisboa, 2009
    • Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, Lisboa, 2013
    • A Aparição do Tempo, poesia, ed. Althum, Lisboa, 2015 
    • A Presença dos Dias, aforismos, ed. Althum, Lisboa 2016 
    • Istmos, ensaio, ed. Imprensa Nacional - Casa da Moeda, no prelo. 
    • PARTICIPAÇÃO EM OBRAS COLECTIVAS
    • Água Clara, poesia, património XXI, 1988.
    • Este, Rio de Quatro Afluentes, com. João Rui de Sousa, ed. Património XXI, 1988.
    • O Legado Cultural de Judeus e Mouros, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 1991.
    • Memórias Árabe-Islâmicas, ensaio, Comissão dos Descobrimentos, Lisboa, 1997.
    • Tudo o que a água consigo leva, poesia, Edições Tema, Lisboa, 1997.
    • Cem anos-Garcia Lorca, poesia, Universitária Editora, 1998.
    • O Algarve - Da Antiguidade aos nossos dias, ensaio, Edições Colibri, Lisboa, 1999.
    • Lobos, Hugin Editores, 2002.
    • Enciclopedia de Al-Andalus, Editora El Legado Andalusí, Granada, 2003.
    • Nós e os Árabes, C.M.Cascais, 2005.
    • O Deserto e a Viagem, em Bouzean, Assírio & Alvim, Lisboa, 2005.
    • Grandes Enigmas da História de Portugal, ensaio, Ésquilo, Lisboa, 2008.
    • Nas Margens da Solidão, poesia, Padrões Culturais, Lisboa, 2008.
    • Os Dias do Amor, poesia, Ministério dos Livros, Parede, 2009.
    • Divina Música - Antologia de Poesia sobre Música,  Conservatório Regional de Música de Viseu, Viseu, 2009.
    • Enciclopédia de la Cultura Andalusí, Fundación Ibn Tufayl de Estúdios Árabes, Almeria, 2012 ( 7 vols.).
    • Livros da Nossa Vida, depoimentos, Sintra, Câmara Municipal de Sintra, 2009.
    • O Prisma de Muitas Cores - Poesia de Amor Portuguesa e Brasileira, Labirinto, Fafe, 2010.
    • Sur la Guerre et Sur la Paix, 86 poètes d'aujourd'hui,revista Bacchanales nº 51, Maison de la Poésie Rhônes-Alpes, Saint-Martin-d'Hères, 2014.
    • UNESCO 70 ANOS, Comissão Nacional da UNESCO, Lisboa, 2015.
    • Antologia Luso-Brasileira do Amor, poesia, Labirinto, Lisboa, no prelo.
    • Antologia "O Vinho", poesia, Labirinto, Lisboa, no prelo.
    • Antologia "Morrer de Amor", poesia, Lua de Marfim, Lisboa, no prelo.
    • Antologia "O Ouro e as Sementes", poesia, Lisboa, 2015.
    • "Abril em Florença" ("Aprile a Firenze"), poema, trad. it. Orietta Abbati, Florença, 2016.
    • "Um canto para Whitman", poema, Lisboa, 2017.
    • " Volver ao presente", poesia, Arandis editora (Algarve), 2017.

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_Adalberto_Coelho_Alves




     


    José Calado Martins da Silva Moreira,

    natural de Mexilhoeira Grande, nasceu a 05.01.1963. Autodidacta, criou a personagem "Billy" com quem editou o seu primeiro livro infantil.

    Tem como produção artistica a pintura sobre tela, papel, carvão é ilustrador infantil e designer gráfico.

    Publicou:

    O Billy- Arandis editora-2014 



     

    Professor Doutor José Manuel Martins Ferreira Coelho,

    Nasceu em Lisboa a 7 de Maio de 1943. Frequentou o Queen Elizabeth´s School de 1947 a 1953, seguidamente o Liceu Normal de Pedro Nunes de 1953 a 1960. Licenciou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, em 1967 e doutorou-se pela mesma Universidade em 1999. Foi oficial da Marinha de Guerra Portuguesa, Reserva Naval (13º CFORN) de 1968 a 1971. Assumiu as funções de Chefe de Serviço de Saúde, da Companhia Nº. 1 de Fuzileiros Navais e Chefe de Serviço de Saúde da Circunscrição do Lago Niassa. Foi Delegado de Saúde da Circunscrição do Lago Niassa de 1969 a 1970. Foi docente da cadeira de Anatomia Humana da FML, da Universidade de Lisboa de 1972 a 1984. Fez a carreira de Cirurgia Geral e de Urologia dos Hospitais Civis de Lisboa, como especialista em ambas as áreas e Chefe de Serviço Titulado de Cirurgia Geral. É membro do Colégio das Especialidades de Cirurgia Geral e Urologia, da Ordem dos Médicos.de várias Sociedades Médicas Nacionais e Internacionais. É autor de vários trabalhos escritos e vídeos científicos do foro médico. Particiou em vários eventos nacionais como internacionais como orador e moderador. É “fellow” do conceituado Colégio dos Cirurgiões Americanos e membro da International Advisory Board of the Society Laparoendoscopy Surgeons (USA), além de outras sociedades de renome internacionais. Possui a “International Medal of Honor” da International Biographical Center, Cambridge, England, como a “The Noble Order of International Ambassadors, da American Biographical Institute dos E.U.A.” Fora da área médica é um atento leitor e investigador da ciência histórica, com particular interesse pelos períodos medieval e renascentista. Proferiu várias comunicações nacionais e no estrangeiro. É autor do livro “Portugal nos séculos XIII-XIV-XV –reflexões históricas. Mar de Letras Editora, 2010.

    É Membro da Sociedade de Geografia de Lisboa, Presidente da Comissão de Estudos Corte Real; da National Geographic Society (USA); membro correspondente da Academia de Marinha e da Sociedade Histórica da Independência de Portugal.



    José Maria Rodrigues Ferreira “O Pistas

    Nasceu em Faro, no dia 16 de Fevereiro de 1942.

    Incorporou na Armada Portuguesa, na especialização de Fuzileiro, no dia 21 de Setembro de 1962.

    Passou à reserva no dia 30 de Junho de 1994 e à reforma em Julho de 1999, com o posto de Sargento Ajudante FZ.

    Publicou:

    O Fuzileiro especial- Arandis editora-2012

     

     

    Josefa de Lima 

    licenciada em Sistemas Europeus de Educação de Infância, tendo feito especialização em Práticas Pedagógicas e Metodologias na Educação da Infância na Universidade Autónoma de Barcelona, ao abrigo do programa Erasmus. Para além de uma vida ligada ao ensino e à educação, onde chegou a exercer cargos de coordenação e direcção, Josefa de Lima tem repartido a sua vida entre a imprensa, o teatro e a escrita. Na vertente da comunicação, colaborou com Augusto Poiares no programa "A Voz da Casa Pia", nos  Emissores Associados, sendo autora da rúbrica "Momento de Poesia" - selecção, leitura e análise de poemas - e  colaborou com diversa imprensa regional - Bragança, Lisboa e Algarve. No campo de teatro passou por três companhias, com papéis de destaque em algumas delas. Porém, é no campo da escrita que desde cedo começou a angariar uma legião de fiéis leitores. O seu primeiro livro foi alvo da atenção de David Mourão-Ferreira, que prefacia "À esquina do olhar" e que lhe valeu a Menção Honrosa no concurso de poesia "Prémio Ano Internacional da Paz - 1988".Premiada diversas vezes, quer pelos seus poemas, quer pelas suas práticas pedagógicas, Josefa de Lima é ainda conhecedora de Esperanto e praticante de canto gregoriano, tendo desenvolvido esta arte desde o tempo em que frequentou a Casa Pia, em Lisboa (1949-1962).

    Nascida em Vila Real de Santo António, regressou de Lisboa ao berço do Sul em tempo já de "madureza". É uma das mais singulares vozes da poesia portuguesa da contemporaneidade.

    Obras publicadas:

    Ao Sul as Mimosas- Arandis editora 2012

    "Confluências" - Arandis editora-2016

     

     

     


    José Conrado Dias,

    Professor de História em Portimão (1994 – 2011) e na Região Autónoma da Madeira (1992 – 1994), entre outros lugares do país, com trabalhos apresentados nas áreas da investigação e do ensino: como Co-autor, “A Pertinência da Educação Sexual e da Amizade na Adolescência”, ed. CFPP (Centro de Formação de Professores de Portimão), 2002; como Comunicante/Co-autor, “Património em Portimão Que Opção: Preservar ou Destruir?” e “A Resistência Operária ao “Estado Novo” no Algarve em 1934 – Análise de um Processo”, no 10º Congresso do Algarve – Portimão, 1999; Como Formador, “Trabalho de Projecto/Área Escola”, CIFOP – UMa (Centro Integrado de Formação de Professores – Universidade da Madeira), Funchal, 1993; Como Comunicante, “O Computador e a Sala de Aula – O Computador e o Aluno”, na 3ª Conferência Internacional da Associação Portuguesa de História e Informática, na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1993, idem, no Congresso Minerva 92, na Escola Superior de Educação de Bragança, 1992.

    Obras publicadas:

    Vou-me embora (Dja-m bá nha Kaminhu) é a sua primeira novela- Arandis editora-2013

    Irish Bar la Gomera- Arandis editora-2014

    O Comediante por detrás do mundo- Arandis editora- 2016

     

     

    Luis Alexandre

    nasceu em Faro no calor de 1953, tem longo trajecto de intervenção política e social, desde os bancos do liceu de Faro, desempenhou várias funções políticas, escreveu ensaios em vários orgãos de imprensa, é comerciante e desempenha actualmente as funções de presidente da ACOSAL-Associação de comerciantes e serviços de Albufeira é ainda vice-presidente da associação política forum de Albufeira.

    Publicou:

    Albufeira: do delírio à agonia- Arandis editora- 2013

    Faro: a serpente de duas cabeças comeu as maçãs- Arandis editora- 2013 

    Foi galardoado com o primeiro lugar do prémio literário Teixeira Gomes,  com a edição de " Da mala de cartão ao canudo" Arandis editora - 2014.


     

    Luis Barriga

    Nascido 24 de maio de 1961, numa quarta-feira, às três da madrugada, enquanto um grupo de marmanjos ébrios,
    incluindo o pai, os tios e o seu futuro sogro, na taberna no rés-do-chão da
    habitação onde estava a ser parido, festejavam prematuramente o seu nascimento. Filho,Estudante, Auxiliar de Topografia, Praticante de Artes Marciais e Jogador de Xadrez, Monitor de Atletismo, Ginástica Desportiva e Andebol. Técnico de Projecção de Cinema, Luminotécnico de teatro, Repórter, Jornalista, Ilustrador, Director do Jornal "O Jogral" e Director do Grupo Desportivo e Cultural Jograis António Aleixo, Pintor e Escultor, Técnico de Instalações Eléctricas, Militar de Cavalaria, Estudante de Engenharia Eléctrica, Instrutor de Artes Marciais e Segurança de Discoteca, "Arquitecto", Mestre-de-obras, Servente de Pedreiro, Eletricista, Pintor e Jardineiro da sua própria casa, Marido e Pai a tempo inteiro, Estudante de Psicologia Clínica, Psicólogo Clínico, Docente Universitário, Mestre em Psicologia Perinatal, Investigador, Autor de Artigos Científicos, Orientador de Estágios Académicos e Profissionais em Psicologia Clínica, Fotógrafo, Director da Casa do Povo de Estoi. E agora talvez Escritor.

    Obras Publicadas:

    Sombra & Sola- vai a rua a duas cores - Arandis editora- 2015

    Mais sol que sombra- Arandis editora- 2016

    Festa da Pinha- arandis editora-2017

     

    Luís Pereira

    nasceu em Boliqueime, no dia 6 de Fevereiro de 1958.

    Iniciou a sua actividade, muito jovem, nos jornais “A Voz de Loulé” e “a Avezinha”, colaborando ao longo da sua vida em vários jornais regionais e nacionais.

    Na sua juventude colaborou nos jornais “O Dia”, “O Tempo”, “O Correio da Manhã”, “O Diabo”, “O Século” e em quase toda a imprensa regional algarvia. Hoje escreve regularmente em “a Avezinha” e “Notícias de S. Brás”

    Paralelamente desenvolveu a sua veia literária, como poeta e cronista, tendo publicado diversas obras, tais como: “Crónicas do Tempo Morto”; “Lágrimas e Fel”; “Refúgio Poético”; “No Pico da Melancolia”; “(In)quietações”; “Poeticodependência”; “Cântico à Mãe Soberana”; “2 Dias de Vida e 3 d’Ilusões”; “Vagueando nas Vagas do Tempo” e “Fado dos Meus Silêncios”, entre outros.

    Participou em vários congressos do Algarve, como autor de comunicações relacionadas com a problemática algarvia. Teve algumas experiências interessantes como cronista de rádio.

    É funcionário da Câmara Municipal de Loulé.