A promover os valores da cultura Algarvia.

A - B - C

Adriano Pereira nasceu em Faro, a 6 de Abril de 1954.
Aos doze anos de idade, vem viver para Portimão, e é no liceu nacional desta cidade, que em 1969 com quinze anos, tem a sua primeira experiência de palco, como actor numa peça de teatro (récitas liceais da época), e como autor de dois textos de Revista à portuguesa.
Dando continuidade a esta experiência, integra entre 1973 e 2008, vários grupos de teatro de revista à portuguesa, onde desempenha as funções de autor dos textos, actor, encenador, e realizador, sempre na qualidade de amador.
Em 2009 e 2010, escreve duas peças de teatro tradicional português. " O BARÃO DE PAUMOLE " e " O HERDEIRO DE VILLA-VINHOS E PAUMOLE" sobem aos palcos sob a sua orientação, e uma vez mais, o êxito é alcançado.Sem qualquer formação profissional, tanto na área da representação, como na escrita, Adriano Pereira, um verdadeiro autodidacta, confessa não gostar muito de Teatro nem de ler, e é o primeiro a admirar-se com o sucesso que as suas criações têm alcançado ao longo de quase quarenta anos." Não sou escritor. Apenas sinto por vezes necessidade de guardar por escrito, coisas que me surgem no pensamento, vindas não sei de onde, vindas não sei porquê"

 

 

Ana Lúcia Estrela nasceu em Portimão no ano de 1981. Licenciou-se em Artes Plásticas (Ramo Educacional) pela Universidade de Évora, tendo em 2003 iniciado a sua carreira profissional na área da docência.

Colaborou como ilustradora nos livros “Rumo à Plenitude do Ser” e “Um Sentido para a Vida”,  ambos da autoria de Ana Paula Gomes e participou num concurso de Arte Pública 2002/03 patrocinado pela Câmara Municipal de Évora.

 

 

 

Ana Paula Ramos Azinheiro nasceu em Albufeira em 1961. Filha, neta e bisneta de albufeirenses, iniciou o seu percurso escolar na vila que a viu nascer, frequentou o liceu de Faro, seguindo depois para Lisboa, onde completou os estudos no ISLA e obteve o bacharelato em Turismo (1982). Desde então tem percorrido o Algarve de lés a lés divulgando, a quem visita esta província junto ao Atlântico, a história, usos e costumes de aldeias, vilas e cidades algarvias e suas gentes. A pesquisa de dados sobre estes lugares, onde se insere Albufeira, surgiu como complemento da sua actividade que abraçou com verdadeiro entusiasmo.

 

  

António Francisco Ventura é natural do sítio do Barracão, freguesia de Monchique, onde nasceu em 17 de Abril de 1938. Foi nesta freguesia que frequentou a instrução primária, tendo vivido em pequenos lugares da freguesia de Monchique até aos 22 anos de idade, altura em que se mudou para a sede do concelho.
Ingressando na Escola de Música, em Monchique, aos 17 anos, foi incorporado na Banda Filarmónica da Casa do Povo, tendo feito parte, posteriormente, da Banda Filarmónica de Monchique e da Banda Filarmónica de Portimão.
Já adulto tirou o curso de electricidade e electrónica, sendo, durante anos, o único a exercer a actividade de comércio e reparação de electrodomésticos, sendo o técnico de som responsável pela realização de vários eventos populares.
António Ventura foi um dos fundadores da Rádio Monchique, a promotora da actual Rádio Fóia, de que é elemento da direcção.
Homem de cultura, ligado ao movimento associativo é membro da Santa Casa da Misericórdia de Monchique, da Casa do Povo de Monchique, da Associação Cultural e Recreativa de Monchique e da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Monchique. Foi, ainda, o responsável pela criação do Rancho Folclórico de Monchique.

Obras publicadas:

Adivinhas Sextilhadas- Arandis editora-2014


 


 

António Horta Correia, nasceu em Vila Real de Santo António no ano de 1932. Licenciado em finanças pelo ISCEF de Lisboa. Foi vereador e Presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, professor provisório na escola industrial e comercial da dita Vila e provedor da santa casa da Misericórdia de Vila Real de Santo António. Director do Grémio dos industriais de conservas de peixe do sotavento do Algarve, de Olhão.

Obras publicadas:

Sebastian Ramirez(1828-1900) Subsidio documental(2008)

O celebrado Mestre cego de Campo Maior e Tavira(2009)

Os Mendoças das Alagoas-ensaio genealógico (2011)

Os Correias da Maragota- Arandis editora-2013


 

 

 

António Manuel Góis Nóbrega, nasceu em Angola – Moçâmedes - actual Namibe onde estudou até ao final do ensino secundário tendo sido admitido por concurso para o quadro da Câmara Municipal local. Actualmente é dirigente da Câmara Municipal de Albufeira e membro do Rotary Clube de Albufeira . Desde 1976 que fixou residência em Albufeira onde casou e só não nasceram as suas duas filhas porque não havia instalações hospitalares. Licenciou-se em Urbanismo e Ordenamento do Território, terminando em breve o mestrado em Reabilitação Urbana. Fundou a Cooperativa dos Trabalhadores da C. M. de Albufeira – instituição de carácter social e cultural - e o Conservatório de Albufeira, estabelecimento de Ensino Artístico licenciado que presta apoio educativo e cultural a cerca de 950 crianças, jovens e adultos.

Possui onze obras publicadas sobre Urbanismo e Ordenamento do Território, a maioria no âmbito das actividades económicas e centenas de artigos técnicos e de opinião.

  

 

Assuncion Feu Pérez, nasceu em Huelva no ano de 1945. Cursou a primária e o ensino secundário em regime de internato no colégio do alto em Faro. Obteve o diploma de secretária correpondente em Inglês e Françês.

Trabalhou para um grupo de empresas do empresário Tomé Feiteira. Exerceu ainda funções de secretária numa empresa familiar, tendo sido secretária de um dos sócios, o escritor Joaquim Paço d Arcos . 

Obras Publicadas:

A família Feu- Arandis editora- 2014



Carlos Alberto Neves Filipe da Silva, nasceu em Portimão, no dia 9 de Fevereiro de 1955, sendo filho de comerciantes e o último de três irmãos. Muito cedo começou a sua vida de "vagamundo", vivendo nas Caldas da Rainha e, depois, na Marinha Grande. Por volta de 1960, regressou ao Algarve, iniciando a instrução primária em Vila Real de Santo António.
Não ficou pela terra da sua mãe, concluindo a antiga quarta classe em Setúbal, onde fez os exames de admissão ao Liceu e Escola Comercial.
Com 10 anos, alarga horizontes geográficos, partindo para Angola (parte integrante da sua alma mestiça, como costuma dizer). É já no Namibe, que entra para o primeiro ano do Liceu, frequentando o segundo ano no Lubango. Regressa, posteriormente, ao Namibe, onde concluiu os estudos liceais, em 1973, ingressando na Escola de Regentes Agrícolas do Tchivinguiro, no planalto da Huila.
Regressou a Portugal em 1975, concluindo os estudos académicos no ISAS, em Santarém (na época ERAS).
Em 1977 vai viver para Elvas, onde estagia um ano em fitopatologia. Torna-se empresário avicultor, sendo um dos divulgadores do consumo de carne de peru.
Saudoso de África, regressa em 1983, para acompanhar uma operação de pescas. Calcorreia a Guiné-Bissau, vivendo depois em Conacri, na Guiné-Conacri e, ainda, na Monrovia, na Libéria.
Regressa ao Algarve e é candidato à Câmara Municipal de Lagoa.
Entre 1985 e 1988, esteve como consultor numa empresa de consultadoria, cotada entre as 10 maiores do país, sendo um dos seus sócios. Sendo um dos precursores das relações públicas, em Portugal.
Volta à Guiné-Bissau, com negócios de importação e hotelaria. Daí, parte para Moçambique, para a cidade da Beira, onde é chefe de cortes de uma empresa madeireira e faz replantação de árvores exóticas.
Regressa depois a Portimão, sua terra natal, onde é eleito Membro da Assembleia Municipal.

Neste percurso de "vagamundo", só o futuro dirá, onde irá parar...

  

 

Clarinha Maria José da Silva, nasceu a 24 de setembro de 1956, numa pequenina aldeia de nome: Chaiça de Madriz, no concelho de Odemira (Baixo Alentejo), filha de humildes agricultores, foi nascida e criada no meio do campo, é filha dos aromas, das cores e dos sabores do Alentejo. Desde muito cedo desenvolveu o gosto pelos livros, amante das artes, é apaixonada pela escrita. Habita em Silves. Em 2010 foi contemplada com o 3º lugar de poesia do Algarve, promovido pela Inatel de Albufeira. Autora de dois livros de poesia já publicados: “Estado de Alma” e o   “Melhor de Mim”. Agora lançou-se no desafio de escrever este belo romance. “ Caminhos Sinuosos” . Um novo já vem a caminho.

 

 

Custódio Nunes Rita, nasceu em Alvalade do Sado a 5 de Abril 1944, reside em Silves à cerca de 45 anos.
Auto-didacta, ex-operário, ex-empresário, reformado.
O pseudónimo "Santiago" está explicado no conteúdo do livro. "Barrigoto" são assim chamados a todos os naturais de Alvalade Sado, daí o ser conhecido por "Santiago Barrigoto".

© 2014 Todos os direitos reservados.

Desenvolvido pela CASTécnica